Carreira

Em algum momento você já parou para pensar sobre o desenvolvimento da sua carreira? Já imaginou em qual cargo e em qual nível espera estar daqui a 5 anos? Deseja um salário de juíz? E principalmente, já parou para pensar em qual momento você deseja parar, estabilizar?

Em primeiro lugar: serviço, trabalho, emprego e carreira são palavras com fortes ligações, mas com significados diferentes. Hoje gostaria de discorrer sobre Carreira, pois diferentemente de serviço, trabalho ou emprego, este termo implica em etapas, conquistas, objetivos e responsabilidades, como os degraus de uma escada.
Você começa lá, criança, aprendendo a ler e a escrever, avançando em novas matérias, cria afinidades com algumas e escolhe o curso da sua graduação (parabéns pra você que já chegou até aqui, não é fácil). Vem o primeiro, segundo, terceiro estágio, conquista experiência, pega o canudo e cai pro mundo, pro mercado de trabalho. Logo vem o primeiro emprego (as vezes, nem tão “logo” assim), pula pro segundo, cria esperanças no terceiro. O tempo passa, bate a crise dos 20 e poucos anos, e você para e pensa: Onde estou neste emprego? Onde quero chegar? Preciso ganhar mais!Ok. Muita gente se esquece que ganhar mais é sinônimo de mais responsabilidade (a não ser concursado, ganha muito pra fazer pouco, hahahaha, brincadeira!). Mais dias até tarde no trabalho, mais estresse, mais aborrecimento, mais dificuldade de gerenciar pessoas, custos, negócios… Mais um monte de coisas! Todo mundo quer sair de Analista I, para Analista II, para Analista III, para Gerente, para Chefe, para Sócio, e por aí vai.
Acontece que já não há espaço para todo mundo. Muitos querem, poucos conseguem, menos ainda merecem um bom cargo, ou um bom posicionamento. A atual geração Y parece acreditar que há espaço para o sucesso de todos, acreditam no discurso do Empreendedorismo (no sentido de que todos podem ser empreendedores), foca na necessidade de inovação o tempo todo, sente-se o futuro da nação, só porque já são nativos digitais, crêm que podem sempre mais.
A palavra “estagnação” causa arrepios na nossa geração. “Eu? Estagnar em um cargo? Nunca! Quero crescer!” É o que dizem. Mas não é nem de perto o que podem e conseguem conquistar. Não vejo problema nenhum em encontrar um determinado momento na vida em que posso dizer que estou na vaga certa, fazendo o que gosto, e o salário está bom. Pergunto aos ambiciosos porque eles precisam tanto ganhar mais… Vão abrir um negócio? Vão salvar o país da fome? Ainda mais num país como o nosso, não entendo porque as vezes as pessoas ainda querem ganhar mais, se já estão ganhando bem (me refiro, pelo menos, da classe média pra cima). Já têm um bom carro, mas precisam de um melhor; já conseguem pagar por um bom restaurante, mas precisam frequentá-lo todos os dias; já conseguem trocar de smartphone a cada ano; trocam de console a cada lançamento. Realmente, está tão ruim assim para você?
No mundo do trabalho, todo mundo precisa do serviço do faxineiro, do porteiro, da atendente, do analista, do gerente, do chefe. Todo mundo é digno e merecedor do que faz. Quando, um belo dia, você estiver em uma etapa onde mais responsabilidades e problemas do que estes que você já possui  te causam arrepio, fique tranquilo, pode estagnar. Ninguém vai culpar você pelo desavanço, nem vai desmerecer seu trabalho se você o fizer bem, ninguém vai lhe achar inútil. O único que te culpará por isto será você.
Advertisements